Psicoterapia Evolutiva

Entendo a psicoterapia mais do que simplesmente acomodar e adaptar os problemas confortavelmente no dia a dia. Saber quem somos, porque somos e onde podemos chegar não só resolve os problemas iniciais, mas provoca um avanço pessoal para estágios de consciência superiores.

Se, tradicionalmente, as linhas tradicionais de psicologia estudam um ser humano adaptado a um “script” existencial implantado durante sua formação como pessoa, seja pela família, sociedade, religião, cultura vigente, etc., procuro projetar a expectativa do que ele poderá ser. Nenhum crescimento pessoal é natural, mas sim resultado de entendimento e esforço pessoal a novos patamares.

O sentido do trabalho terapêutico está intimamente ligado com a visão que o profissional tem da humanidade, com seu treinamento e com a cultura social em que está inserido.

O terapeuta é aquele que conhece profundamente seu ofício, é aquele que sabe o que faz, que aplica somente os recursos terapêuticos necessários, sem fórmulas prontas, que aje com respeito pela pessoa que o procura, que é imparcial, que pensa com discernimento e é aquele que ajuda a encontrar o verdadeiro caminho para o equilíbrio, para o saudável.

Mas talvez, acima de tudo, a terapia seja a arte de escutar com equanimidade as boas e as más notícias, e de cuidar que a flor possa brotar da dor, como nos ensina Jean-Yves Leloup. Precisamos de uma escuta aberta para toda a pluralidade e vastidão do fenômeno humano, que concilia o infra-humano, humano e trans-humano.

Penso ser a prática terapêutica uma alquimia da inteligência integral, como ensina Roberto Crema, que respeita o que de mais moderno nos oferece a ciência, sem esquecer o oráculo, ou seja, o novo com o antigo, a práxis com a contemplação, a palavra com o silêncio, do conhecimento com o amor.

Os sofrimentos psíquicos e corporais dão-se pela perda da unidade e quando um ser humano coloca em ordem a ecologia do seu Ser, então o equilíbrio ou a cura pode acontecer.

Como nos ensinam os antigos terapeutas do deserto, da época de Jesus, quando nos curamos o universo também se cura. Dessa forma, podemos sim pensar que a doença do planeta é a doença do ser humano.

Vivemos em um mundo que leva a existência muito a sério, tornamo-nos fanáticos pelo que passa, abandonando nossa essência, aquilo que realmente somos.

A terapia é a arte do encontro. E é através do encontro com quem nos procura, que nos constituímos realmente humanos. O ser humano é a mistura da natureza com a aventura. A aventura é a nossa liberdade de interpretar o que nos acontece, dar um sentido ao que se passa conosco, à nossa existência, a possibilidade de mudar de vida e de reorientar nosso desejo. O terapeuta é, porque não um hermeneuta, e sua prática envolve a arte da interpretação.

Busco a eterna qualificação para compartilhar com aquele que chega ao encontro terapêutico uma reinterpretação, de proferir uma palavra que não acrescente sofrimento ao sofrimento e que não adicione culpa a dor.

Penso que a maior função daquele que cuida, talvez não seja a de explicar, mas de estimular a capacidade da pessoa de produzir um novo sentido para aquilo que lhe acontece.

Muitas vezes tudo o que lemos e estudamos se dissolve diante da história que ouvimos, que compartilhamos, deixando órfãs de sentido e significado todas as teorias, sistemas e técnicas.

Joseph Campbell, famoso estudioso dos mitos, nos ensina que não nascemos humanos, nos tornamos humanos. Precisamos, incansavelmente, dia a dia, em primeiro lugar, buscar nossa própria humanidade.

4 Comentários

  1. simone veiga   •  

    Boa noite!

    Adorei, o documentário, atualmente estou lendo um livro que fala sobre: O medo é uma masturbação mental e diz como se livrar dele para sempre e fala sobre a psicoterápia evolutiva, estou achando maravilhoso `a leitura. OBRIGADA SIMONE VEIGA.

  2. cristian mara dal-molin   •  

    Preciso muito conhecer vc, fazer um curso contigo, a Franciella Bedenarski me falou sobre seu trabalho.

    Um abraço

    Cristian Mara

  3. vernadja gallindo   •  

    OI DR.,EU TENHO TAG HÁ DOIS ANOS.TOMO RIVOTRIL, DEPAKOTE 500MG E LITIO DE 3OOMG PARAESTABILIZAR O HUMOR.TEVE TEMPOSQUE JÁ CHEGUEI A TOMAR 8 RIVOTRIL DE 2MG! HJ TOMO SÓ UM Á NOITE.QUER DIZER, ENTREI EM CRISE POR CONSEQUENCIA DE ESTAR LONGE DOS MEUS DOIS FILHOS PEQUENOS QUE ESTÃO COM O PAI NA CASA DOS AVÓS.AÍ CAI EM DEPRESSAO E Tô TOMANDO RIVOTRIL ALEATORIAMENTE.SEI QUE É ERRRADO,MAS ME ACALMA MAIS.TENHO ACOMPANHAMENTO NEUROLÓGICO E PSICOLÓGICO.CUIDO DOS MEUS FILHOS SOZINHA, UM DE CINCO E OUTRO DE QUATRO ANOS.PASSEI MUITO TEMPO SOBRE STRESS E QUD VIAJAVA PARA CASA DA AVÓ,MÃE DO MEU MARIDO, SOFRIA MUITOA PRESSÃO PSICOLÓGICA QUE EU NÃO SOUBE ADMINISTRAR NA MINHA CABEÇA.FOI COMOUMA PANELA DE PRESSÃO QUE EXPLODIU E EU FIQUEI DOENTE.SERÁ QUIE UMDIA VOU SAIR DESSA?SOU CATÓLICA , REZO, SAIO PARA DAR UMA VOLTA,MAS MUITO POUCO.QUERIA SELAR A PAZ COM ELA, MAS MEU MARIDO NÃO CONFIOU NA MINHA VONTADE, POIS ESTOU HÁ UMA HORA E MEIA DA CIDADE DELES AQUI EM FEIRA DE SANTANA BAHIA.LIGUEI E ELE NADA ME DISSE EM POSITIVO QUANTO A ISSO.E ADOR DA SAUDADE DOS MEUS BABYS SÓ ME TRÁS MAIS SOFRIMENTO E ME FEZ ENTRAR NESSA CRISE DE DEPRESSÃO…EU TAVA BEM MELLHOR, PENSANDO POSITIVO, QUE IRIA PARA LÁ, DE POIS QUE VISITASSE MINHA FAMÍLIA AQUI.TÔ ARRASADA, TEM UM BURACO FUNDO NO MEU PEITO, UMA ANSIEDADE FORTE QUE DÁ FALTA DE AR SEMPRE, AÍ RECORRO AO RIVOTRIL.QUE DEUS ME AJUDE, POIS SÓ VOU VÊ-LOS DIA 20 DE JULHO…..FIQUE COM DEUS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *