Agenda

A numerologia para 2013

Abaixo está um vídeo de uma entrevista sobre o assunto que irá ao ar em Santa Catarina, nesse domingo dia 30, para aqueles que se interessarem,mais abaixo segue uma abordagem um pouco mais ampla. Adiante, para quem quiser, a maneira de calcular seu ano pessoal.

Imagem de Amostra do You Tube

 

2013 será um ano “6”, já que a soma dos algarismos (2+0+1+3) nos leva até esse número de um rico simbolismo. Depois de passarmos pela etapa de aprendizado, autoconhecimento e de uso responsável da liberdade simbolizado pelo cinco, o seis nos prepara para o grande enfrentamento de nós mesmos que ocorrerá no sete, o número do autodomínio e onde a força de vontade se cristaliza.

Quando se fala de seis, estamos falando de casa, família, arte, beleza e pensamento abstrato. O seis representa a elegância e o gênero artístico em perfeita harmonia, seja nos ambientes ou em nossa relação interior. Por representar duas vezes o três (número da criatividade), o seis é o potencial criativo multiplicado não só nas artes, mas nas ciências em geral.

Simbolizado desde de tempos imemoriais  pela estrela de seis pontas chamada de “selo de salomão” ou “estrela de David”, já era também conhecida na mitologia hindu muito tempo antes. Esses dois triângulos entrelaçados, como mostra a figura, representam o equilíbrio entre o macrocosmo e o microcosmo, entre o transcendente e o imanente ou entre o Criador e a criatura.

 

Pelos triângulos estarem em oposição, um apontando para cima outro para baixo, também nos fala do antagonismo e da dúvida, da escolha do caminho a seguir.

Portanto, 2013 será um ano de tomarmos decisões importantes em qualquer aspecto da vida. O seis nos ensina que toda a decisão é boa, desde que assumida integralmente. É sempre importante iniciarmos uma nova caminhada sem olharmos para trás. Decidir também é abrir mão de uma das possibilidades e isso é livre-arbítrio. Para quem gosta e pratica qualquer tipo de arte, 2013 trará bons ventos a favor, inclusive da reforma da casa, da decoração ou mesmo do próprio corpo, quando a meta é uma harmonia entre corpo e espírito, ou seja, a saúde integral.

Mas para a numerologia, é sempre importante lembrar, cada um de nós tem seu número a cada ano, que começa no dia do nosso aniversário e se encerra no aniversário seguinte. Assim, caso queira calcular seu ano pessoal, segue uma fórmula fácil. Depois de chegar a seu número para 2013, veja abaixo o que será mais propício nesse ano que se inicia.

Some os algarismo de seu dia e mês de nascimento e depois o ano, como no exemplo abaixo:

Por exemplo, para quem faz aniversário em 23 de julho (mês 7):

2+3+0+7+2+0+1+3 = 18 (1+8)= 9 essa pessoa terá um ano 9 que se iniciará em 23/07/2013 e se encerrará em 23/07/2014

Caso a soma resulte em um número maior que 9 (como no caso do exemplo acima em que a soma resultou em 18), some os algarismos para reduzi-lo a um só número.

Vela a tabela abaixo:

 ANO PESSOAL 1

É sempre um ano de muita ação, adequado para plantar semente que germinarão no futuro. É um ótimo período para experimentar novas atitudes. É hora de coragem e ambição, de confiar na própria capacidade e tomar iniciativas. Excelente para novas ideias e tudo que seja inédito. Para quem pensa em ser seu próprio chefe, o ano 1 é o ideal. Também útil para desenvolver a tolerância e o respeito para com o modo de cada pessoa ser. Quem estiver passando por um ano 1, deve cuidar para que seu ego não atrapalhe seu projetos.

ANO PESSOAL 2

É um período de espera e paciência, sem grandes mudanças no plano material. Caso tenha que recuar para avançar depois, não se preocupe, já que a oscilação faz parte da essência do dois. Ótimo para trabalho em equipe e projetos que envolvam muitas pessoas.

Ótima hora para formar parcerias, resolver conflitos pendentes, reatar amizades esquecidas etc. Para as mulheres, principalmente, a intuição deve ser obedecida pois estará muito favorecida.

ANO PESSOAL 3

É um ano para comunicação e criatividade, e, principalmente, estar entre pessoas. As árvores plantadas há dois anos atrás, já começam a dar frutos, podendo ser ótimo para o aspecto financeiro. É um período de expansão e atividade.

Hora favorável para os amigos, para o trabalho criativo e desenvolver novos contatos e ampliar relacionamentos, pessoais e profissionais.

ANO PESSOAL 4

Por tratar-se de um período de trabalho duro, pode dar a sensação de frustração e limitação. É hora de ter paciência, já que o sucesso vem lentamente. O quatro representa tudo que é sólido, de longo prazo e que tem a confiança como alicerce. É um ano de organização e planejamento. Tudo parece ser mais devagar em ano quatro, mas ali se firmam bases sólidas que florescerão no oito.

Ótimo período para construir sólidas fundações para o futuro, fortalecendo as relações profissionais. Não é hora para trocar de emprego ou de casa, já que o 4 representa estabilidade, portanto, mudanças, só as inevitáveis.

Manter atenção à saúde do corpo, trabalho e relacionamentos. Por o quatro ser um número cíclico, todo o cuidado é pouco…

ANO PESSOAL 5

É um ano de mudanças. É bom estar pronto para os imprevistos. Ótimo para o crescimento pessoal e alargamento de horizontes.

Agora sim, novo trabalho e nova casa vão bem, aproveite e abandone antigas rotinas que já não trazem nenhum crescimento. O cinco favorece toda e qualquer mudança e, principalmente viagens e aventuras.

ANO PESSOAL 6

É um ano para a família, comunidade, arte e busca de equilíbrio. Também propício para assumir novas responsabilidades. Cuidar da saúde, da beleza e da casa. Hora de decidir e assumir projetos importantes.

Ótimo para pensar em relações amorosas duradouras, reformas e sucesso profissional.

ANO PESSOAL 7

É hora de dar um tempo, e investir na evolução espiritual. Bom momento para um balanço e rever atitudes em todos os campos para o futuro. Não forçar nada que provoque mudanças muito radicais., já que o sete também é um encerramento de ciclo. Muita atenção a saúde e ótimo para cursos e novos aprendizados, principalmente nas áreas de religião e filosofia. É um ano para investir em auto conhecimento!

ANO PESSOAL 8

Esse é um ano de resultado, de se colher o que foi plantado anteriormente. A princípio é um bom período para o progresso material, portanto, importante manter a organização e o equilíbrio físico e mental.

Importante manter o equilibrio entre corpo e mente. Como será um ano de resultado, não exagere no trabalho e “tempere” com divertimento a vida. Invista em meditação e relaxamento para não perder a calma e correr o risco de jogar tudo fora. Cuide da ansiedade!!

ANO PESSOAL 9

É o ano do fechamento do ciclo. É quando tudo se encaixa e encontramos respostas.

É um período propício a estarmos mais fragilizados, para que tudo recomeçe com o vigor do um no próximo ano. Se for possível, corte os laços que o mantém preso ao passado para poder renascer, assim como podamos uma planta.

Finalize tudo que está em andamento, mas não comece nada, já que o período não favorece. É hora de silêncio, de participar de retiros e de curtir aquela solidão saudável!

Pensar mais nos outros, ser mais solidário e, se puder, comece um trabalho voluntário.

Últimos Seminários

numerologia 2012

 

Meditando o Sucesso – realizado nos dias 30 de junho e 1 de julho 2012:

Tivemos um final de semana de muitas reflexões: falamos sobre sucesso, planejamento, meditação e outros assuntos. No fim, descobrimos que “sucesso” é estar AQUI, no paraíso, claro! Ótima parceria com a “coach” Fabiana Koch!

 

Curso de Numerologia – realizado nos dias 7 e 8 de julho de 2012

Numerologia é bem mais do que analisar, criar e modificar nomes. É uma maneira de entendermos como saímos da escuridão para a luz. Foi um final de semana de aprendizados, mas também divertido. Nos encontramos um pouco em cada número e também buscamos nossas próprias saídas.

 

 

Seminário de Numerologia

No próximo final de semana, estarei no Instituto de Parapsicologia de Joinville ministrando mais um seminário de numerologia. Lá, falaremos sobre o simbolismo dos números e como isso pode ser útil, tanto para nos conhecermos melhor, como também a outras pessoas. Isso também pode ser uma forma de trabalho, afinal a numerologia tem sido cada vez mais utilizada em recursos humanos, vendas e outras atividades. Nunca falta trabalho a um numerólogo, afinal sempre temos empresas que precisam de um “bom nome”, pais que querem saber como será seu filho a partir do nome e tantas outras aplicações, além é claro, de estudarmos como nossa consciência evolui e como os números nos mostram esse caminho. Mais detalhes na “agenda”. O número de participantes é limitado e restam ainda 5 vagas.

 

2012 – O ano do PONTIFEX

Não nascemos humanos, nos tornamos humanos.

Joseph Campbell

Tarô de Marselha

O Sumo Sacerdote (Papa) Tarô de Marselha

 

É comum, devido a estudos sobre simbologia numérica que faço há muito tempo, as pessoas perguntarem para que cada ano é favorável. Assim, mesmo que já estejamos em março, não é tardio estudarmos um pouco sobre o que nos recomenda esse ano 5, já que 2+0+1+2=5.

Cada número traz em si um ensinamento velado sobre estados de consciência e etapas evolutivas que o ser humano busca da ignorância a iluminação de sua percepção quando atinge a capacidade de “ver” sem julgar.

Dessa forma, assim como em artigo anterior estudamos o número 11, vamos agora buscar as principais características desse número cinco, mesmo que de forma superficial, já que esse blog se destina a busca do autoconhecimento e esse tipo de saber é muito importante.

Para Pitágoras, o cinco representa a liberdade, a busca de desbravar novos lugares e, como o “outro lado” uma inconstância, aversão a rotina de qualquer espécie e uma sensualidade marcante que o faz trocar de parceiro movido pela eterna busca de novas experiências. Por dividir os números mais voltados a realidade (1,2,3 e 4), dos mais voltados a espiritualidade (6,7,8 e 9), ele transita por todos com desenvoltura e explica essa dificuldade de permanecer muito tempo em um mesmo lugar ou relacionamento. O cinco pitagórico é, acima de tudo, livre e descompromissado, sempre pronto a viagens e novas experiências como uma facilidade incrível de se entediar.

Porém, se buscarmos um mergulho mais profundo encontraremos o Cinco ligado a figura do pontifex, que em sua etimologia significa ponte e para os católicos o Papa. Também o Cinco representa o número simbólico da quinta-essência que é a preciosa e indestrutível qualidade só conhecida daquele que transcende os quatro elementos primários (terra, água, fogo e ar) tão comum aos homens quanto aos animais. Poder-se-ia então dizer que a verdadeira humanidade só é atingida quando experimentamos a quinta-essência.

Então a figura do Papa significa a pessoa que faz essa ponte do homem com a divindade, ele exterioriza essa luta em busca do verdadeiro significado da existência. Cabe então ao Papa tornar acessível ao homem o mundo transcendental, que normalmente acessamos apenas pela intuição. Por isso, nos baralhos antigos de tarô ele poderia simbolizar um médico, padre, terapeuta ou guru, ou seja, alguém que ajudaria a “entender” e buscar significado da vida de forma total, não só ligado ao temporal.

Essa busca pela transcendentalidade é sempre importante na medida em que nos ajuda, pelo conhecimento de si, a nos tornarmos cada vez mais conscientes de nossa capacidade para o bem e para o mal que, normalmente, projetamos para fora de nós nas pessoas e situações que criticamos e adoramos.

Na figura que ilustra esse artigo, onde tudo tem um significado, vemos nosso Papa segurando seu cetro com a mão esquerda, o que mostra que essa busca por um significado é via coração e não pela razão, sempre coberta pelos véus dos condicionamentos e pré-julgamentos que, impostos desde cedo, nos tiram a capacidade de vermos por si, mas entendermos tudo com lentes distorcidas e sempre muito, muito antigas…

Assim, o cinco representa o Logos na figura do Cristo, que é o representante de Deus e também um ser humano, o que nos ensina que, pertencemos ao Tempo, mas com essência imortal. Como nos ensina Jung, sem essa interação entre o humano e o transcendente, nem a consciência do homem nem o espírito poderiam evoluir.

O sinal chinês indicativo do homem é o pentagrama, onde a ponta da estrela voltada para cima demonstra o domínio de si mesmo e a vitória da consciência sobre os instintos, onde, quando usado como amuleto, guia e protege o homem. Já quando essa estrela está com a ponta para baixo, temos a desordem intelectual, subversão e loucura, o que simboliza um mau presságio e a magia negra.

Como curiosidade numerológica é interessante observar que o número divino da plenitude e da criação é o 10. Metade é 5. No corpo temos  a simetria que exige que dividamos o corpo em dois lados, sendo que em ambas as partes encontramos o 5: temos 5 dedos em cada mão, portanto 10 no total. Da mesma forma nos pés. Temos 32 dentes, com a soma (3+2) igual a 5. A arcada dentária superior tem 16 dentes que soma 7 (1+6) e a inferior também. Assim temos 7+7= 14 que nos traz o 5 pela redução de 1+4. O número dos sentidos também é 5. Ao adicionarmos os membros, dois braços e as duas pernas juntamente com a cabeça encontramos mais uma vez o 5. O corpo humano cabe assim na estrela de 5 pontas e, segundo os estudos antigos, a corrente vital circula pelo corpo na forma dessa estrela. Abaixo, temos um pantáculo antigo usado como proteção, cheio de simbolismos.

Portanto, o cinco, ou nosso Papa interior é a função em nós mesmos que nos governa o bem-estar espiritual, a consciência inata que nos diz quando erramos contra nós mesmos. Aprender a “ouvir” o Papa torna nossa voz interior tão merecedora de confiança que nos tornamos divinos.

Assim, respondendo a pergunta, 2012 é um ótimo ano para viagens, mudança de rotina, de trabalho e novos relacionamentos. Pitágoras recomendaria evitar as viagens mais perigosas via estimulantes químicos que o cinco gosta de fazer para “viajar” sem sair do lugar ou quando está entediado. Mas, sem dúvida, é um ano para criarmos a “ponte” que nos leve ao nosso mundo interior, buscar o autoconhecimento, estudar filosofias, religiões e buscar uma prática espiritual.

Independente de o mundo acabar ou não como, segundo dizem, os Maias profetizaram, se você conseguir encontrar-se com seu Papa interior, tudo já terá valido a pena.

Use a energia do cinco e arrisque-se!

O estudo do ONZE

A Força

 

“Ah, se fosse assim tão simples! Se houvesse pessoas más em um lugar, insidiosamente  cometendo más ações, e se nos bastasse separá-las do resto de nós e destruí-las. Mas a linha que divide o bem do mal atravessa o coração de todo o ser humano. E quem se disporia a destruir uma parte do seu próprio coração?”

Alexander Solzhenitsyn

Tivemos nessa semana uma daquelas datas que povoam o imaginário das pessoas e que é importante para muitas correntes místicas. Diz-se que em datas com números repetidos como esse 11/11/2011 abrem-se “portais” por onde aqueles que estão conectados ou preparados podem ter um aumento do seu nível consciencial pela sabedoria transmitida por seres mais elevados. Nesses dias nos horários completos como tivemos às 11hs, 11min e 11 segundos essa comunicação é feita pela abertura dos referidos portais. Caso isso tenha realmente ocorrido será muito bom, visto que, como sabemos, até por experiências já realizadas, quando um grupo de pessoas se “eleva” isso provoca um efeito no restante da população, já que parte-se do pressuposto que existe uma “mente coletiva” partilhada por todos nós. O lema é: tudo está em tudo, ou o que está no alto também está embaixo.

Porém, quero aproveitar essa data para falar do número que ficou em evidência, o onze, que, como os demais, tem um profundo simbolismo que pode nos ser útil em nossa caminhada em busca do autoconhecimento.

O onze é uma variação do número 2 (1+1), sendo, portanto um número eminentemente feminino. Tradicionalmente o onze é representado por três figuras a saber: uma mão fechada, um leão amordaçado ou a mais conhecida e que ilustra nosso artigo; uma mulher abrindo a boca de um leão. O onze é também chamado de “A Força”.

A nível psicológico o onze nos remete a mediação (entendimento) entre o ego e nossas forças mais primitivas. Como sabemos, o Leão é um animal selvagem e ameaçador e simboliza que não podemos enfrentá-lo (dominá-lo) de forma tradicional e violenta (masculina), nem podemos simplesmente ignorá-lo. Justamente por isso que esse importante conflito precisa ser realizado de forma subjetiva, interior e sutil, o que justifica plenamente a presença da mulher na gravura. Notem que ela abre a boca do leão sem esforço e não aparenta nenhum medo…

Mas o que é essa nossa parte simbolizada pelo leão? É o que o psicólogo Carl G. Jung chamava de “sombra”, ou seja, cada um de nós tem um personagem agradável para o uso cotidiano que busca a adaptação, respeito e acolhimento dos outros. Mas, também temos um “eu” oculto e noturnal que permanece amordaçado a maior parte do tempo. Emoções e comportamentos negativos como raiva, ciúme, inveja, vergonha, falsidade, ressentimentos, lascívia, cobiça, tendências suicidas e homicidas, etc., ficam escondidas logo abaixo da superfície, encobertas pelo nosso “eu” de consumo externo, mais apropriado às conveniências. Como não gostamos de também ser assim, mantemos essa parte escondida (nos causa vergonha) e a negamos. Dessa forma esse importante território de nosso interior permanece inexplorado.

O grande problema é que esse lado escuro, por não ser dominado, sempre aparece em um momento de raiva, quando bebemos demais ou “perdemos a cabeça”. Nessa hora, nos mostramos mais completos e dizemos o que realmente sentimos e fazemos o que realmente queremos. Mas como isso não combina com a idéia que nós mesmos queremos passar, nos desculpamos dizendo que não sabíamos o que estávamos fazendo, etc…

O ensinamento do onze nos ensina que não podemos voltar às costas para nosso leão, já que sempre que isso acontece ele fica mais feroz e incontrolável. Se não o dominarmos, seremos visitados por doenças psicossomáticas, crises nervosas e são a causa da maioria dos crimes passionais.

Ocorre que esse leão só pode ser domado de forma sutil e acolhedora, reconhecendo meu lado obscuro. É muito fácil saber o que está escondido em nós, basta perceber o que mais me incomoda e me irrita no comportamento dos outros. Como o outro é sempre um espelho onde me reflito, minhas críticas e irritações com outras pessoas só acontecem porque elas me mostram esse meu lado que não quero lembrar que tenho. Também é importante entender o outro lado: tudo que admiro em outras pessoas são potenciais que também tenho que precisam apenas ser desenvolvidos.

Enquanto não domarmos nossa “fera” ainda não teremos atingido nossa plena humanidade, sendo, na melhor das hipóteses um animal que se desenvolveu um pouco mais que os outros da natureza. Só quando me conheço por completo, posso realizar o principal conselho de todas as religiões: o não julgamento! Afinal, quando tomo essa consciência, ao invés de criticar, vejo o outro como alguém que sofre como eu…

Reputo fundamental a reflexão sobre a frase de Jung: “Aquilo que não fazemos aflorar a consciência, aparece em nossa vida como destino.”

Agora algumas curiosidades:

No Sepher Yetzirah*, o décimo primeiro caminho é o da inteligência cintilante, pois diz-se que aquele que o percorre até o fim com “verdadeiro entendimento” pode ser autorizado a ver a face de Deus e continuar vivendo. Para a Cabala, portanto, o ensinamento desse caminho proporciona a verdadeira liberdade.

Para os Taoístas o onze também e representado pela união do 5 e 6, que são o macrocosmo e microcosmo, céu e terra, sendo o número que constitui a totalidade, a via do céu e da terra. É o número do Tao.

*O Sepher Yetzirah é um dos mais antigos e misteriosos textos da Cabala. As primeiras referências datam do século I. Tem uma chamada “versão curta” com 1300 palavras e uma “versão longa” com 2.500 palavras. Sua autoria é atribuída a Abrahão.

Se perdeu esse portal não se preocupe, ano que vem teremos o 12/12/2012. Enquanto isso, pense nos conselhos que o número onze traz…

 

Para saber mais:

Números, magia e mistério: ed Três

Ao encontro da sombra: ed Cultrix

Jung e o Tarô: ed Cultrix

Dicionário de Símbolos: ed José Olimpo