Uma mudança necessária*

– Senhor, precisamos conversar!

– Fala Pedro, você me parece ansioso.

– Sempre fui Senhor, desde a minha vida lá na Terra, quando me senti pressionado para salvar meu pescoço e neguei três vezes que conhecia Jesus, nunca mais fui o mesmo.

– Entendo, mas agora que você está na vida eterna não precisa mais ficar assim. Como aqui ninguém morre mais, não há motivo para a ansiedade. Respira Pedro, respira.

Depois de Pedro fazer a respiração que aprendeu no Yoga, ficou com o semblante mais sereno e continuou:

– O natal Senhor, não está mais dando certo. Precisamos rever.

– Como assim? Começou ontem, como  pode não estar funcionando?

– Lembre que o Senhor existe desde sempre. Dois mil anos lá na terra até que é bastante tempo.

– Essa coisa de tempo sempre me confundiu. Mas afinal, qual é o problema?

– Nossas pesquisas mostram que quase  metade dos cristãos fica triste nessa época. Como se fosse uma espécie de depressão. Chamam por lá de Christmas Blues.

– Mas porque eles ficam tristes, não entenderam minha mensagem?

– Sabe o que é Senhor, é a época do ano que aumenta a ansiedade pela quase obrigação das pessoas de se sentirem felizes. Tem uma pressão para que todos se amem e se perdoem. Alguns dizem que tem que fingir que gostam de alguns parentes e outras coisas.

– Sei, estou entendo.

– E tem ainda a coisa da morte…

– Morte? Natal não tem a ver com morte, é justamente o contrário!

– Eu sei, mas como é um encontro de família, todos lembram os que já morreram e aí fica pior. Andei vendo uns vídeos no Youtube Celestial e realmente não está indo nada bem. Tem ainda as coisas que eles se comprometeram de fazer e não conseguiram, de mais um natal que um ou outro problema continuou sem solução.

– Poxa, não sabia que estava desse jeito! Você sabe Pedro que comando o universo inteiro e a Terra é um planeta pequeno, em uma galáxia sem muita graça. Acho que preciso aumentar o número de anjos. Faça um edital.

– Mas Senhor, eu tive uma ideia.

– Olha Pedro, pelo que andei lendo a sua última ideia fez chover na primavera inteira. Pense bem antes de sugerir alguma coisa!

Pedro ficou em silêncio olhando para o chão. Pensou em dizer que todos têm maus momentos e quase perguntou sobre os dinossauros, a inquisição e as pestes, mas resolveu se calar. Tem horas que Ele fica bravo como era no Antigo Testamento e aí a coisa pega.

Respirou mais uma vez e resolveu falar:

– Pensei em mandar alguns sonhos reveladores. Como o Senhor sabe, sempre que queremos fazer alguma mudança por lá enviamos ideias. Lá eles chamam de inspiração e nos desenhos animados fazem uma lâmpada acender. Na verdade, eles já perceberam que vivem em uma espécie de escuridão.

– Mas a escuridão é natural, Pedro. Quando eu criei a Luz, era isso que queria dizer.

– Mas eles ainda são crianças Senhor. Veja o nosso departamento de pedidos; continua sempre abarrotado,  continuam precisando de nós como no primeiro dia, não fazem muita coisa sozinhos.

– Verdade, fico esperando que cresçam, mas sei que demora.

O Senhor ficou vagando em pensamentos, olhando para o vazio. Pedro, ao vê-lo pensando, sentiu um aperto no coração, mas teve uma dúvida; se Ele pensa, pode errar, ou seria uma insegurança?

Repentinamente o Senhor voltou a assumir a postura confiante de sempre e perguntou:

– Afinal, qual sua ideia, não me venha com outro dilúvio!

– Não Senhor, um já foi bastante e preciso reconhecer que os resultados não foram os esperados. Minha ideia para salvar as pessoas dessa tristeza no natal são as crianças.

– Como assim as crianças?

– Tudo começou com o nascimento de Jesus, não foi?

– Sim…

– O que eles ainda não perceberam é que o natal só funciona com crianças. Crianças não tem ansiedade, não se preocupam e vivem intensamente o presente, por isso são sempre alegres.

– Foi por isso que mandei Jesus dizer que só sendo assim eles viriam para o reino dos céus.

– Eu sei Senhor, mas eles não entenderam. Então minha ideia é mandar sonhos inspiradores de que só se poderá comemorar o natal em lugares onde tiver crianças. Dessa forma, resolvemos dois problemas; O primeiro é fazê-los entender que para estar em paz e harmonia é fundamental estar despreocupado e sem medo para confraternizar de verdade. E o outro é que temos milhões de crianças abandonadas por lá. Família sem criança é tão sem graça como natal sem criança. Meu plano é que todas as famílias sempre tenham uma criança em casa. Depois que os filhos entrarem na adolescência precisa adotar uma criança. Isso garantirá que o melhor da vida sempre estará em cada família.

– Parabéns Pedro, que grande ideia! Como pretende começar?

– Senhor, vou  mandar isso em sonho para um colunista e inspirá-lo a publicar.

– Tomara Deus que dê certo Pedro!

– Mas o Senhor é Deus…

– É mesmo, deixa prá lá, modo de dizer….

_____________________________________________________________________

* Resolvi transcrever no blog a íntegra da coluna publicada no jornal Folha SC em 22/12/2015, tendo em vista não só a data, mas pelo assunto se relacionar com os textos aqui publicados, já que muitos assinantes do blog não  terem acesso à publicação da coluna no Facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *